segunda-feira, 21 de setembro de 2009


Rogoski, Esturilho e Lemos, ao som de "Abracadabra"
(vc não tã ouvindo na foto?)

Olá senhores! Embora a verborragia seja uma das características desse diretor que vos escreve, é a primeira vez que me atrevo a essa mal traçadas linhas para o blog do filme. Mas a direção foi aqui muito bem representada pelo Allon até então.

Escrevo direto do estúdio Offbeat (a bat caverna do Ale Rogoski). Estamos cá Ale, Rodrigo Lemos e eu no segundo dia de gravações das baterias das canções do filme. A canção da vez é "Abracadabra", depois de "Avião"
O Ale está na bateria dando brilho à canção com seus pratos sincopados, ao olhar atento do Rodrigo, no comando, com o ENTER e a batuta na mão. Com gosto de chá de hortelã na boca tenho o prazer de ver finalmente as canções ganharem vida (não contem pra ninguém, mas talvez esse momento me criasse mais expectativa do que as próprias filmagens). A paz qe o chá me trás rima com a tranquilade que me trouxe ao entregar a produção musical ao Rodrigo (com autonomia pra transformar minhas canções em nossas, a partir dos arranjos e tudo mais). São raras as vezes em que me senti tão à vontade pra largar um filho em outro colo (e espero que esse "piá" saia correndo por aí de um jeito que eu não espere.)

As vozes ainda são apenas guias de caseiras, mas já nelas tivemos uma grata surpresa ao testar a voz da Uyara Torrente em conjunto com a voz masculina (isso não estava nos planos!) O efeito de ar entrando pelo sótão que trouxe uma magia a mais à canção e certamente traremos mais de vento em outros momentos (seja brisa ou ventania!).

Agora vamos trabalhar a bateria de "Caibo", minha canção predileta e talvez a mais vermelha do filme. Durante essa semana teremos mais fotos das gravações... quem sabe não nos empolgamos e postamos alguma prévia de alguma delas?

bjs
esturilho

sexta-feira, 4 de setembro de 2009